quarta-feira, novembro 14, 2018
Home > Educação > OFICINA E AÇÕES PARA A JUVENTUDE EM MANGUINHOS

OFICINA E AÇÕES PARA A JUVENTUDE EM MANGUINHOS

 No dia 20 de maio de 2014, foi feita uma oficina no prédio da Ensp, organizada pelo CGI (Conselho Gestor Intersetorial) de Manguinhos.

Foram convidadas várias lideranças, atores locais e moradores em geral. Essa foi uma reunião resultante de um encontro anterior, realizada no dia 7 de fevereiro de 2014. Estiveram presentes os representantes do Museu da Vida, Instituto Pereira Passos, Paróquia São Daniel, Cooperativa de costureiras do Amorim, Chefe de Medicina da ENSP, equipe do Programa Caminho Melhor Jovem, Centro de Referência da Juventude e vários moradores e conselheiros do CGI. A mediadora foi Patrícia Evangelista (Saúde da Família/Mulheres de atitude).

Em fevereiro, o encontro levantou algumas demandas resultantes de reclamações de representantes de equipamentos públicos, tais como: a UPA, a Clínica da Família e a Escola (CE Luís Carlos da Vila), que informaram sobre ações de vandalismos de crianças e jovens nesses espaços. Durante o encontro foram citadas a invasão do espaço da piscina, danificação de telhados, etc. Houve a proposta de elaboração de um documento listando as estratégias a serem adotadas por todos em relação a mapeamentos, projetos sociais, envolvimento ampliado da comunidade e outras formas de minimizar essas situações de vandalismo local e atender essas e outras necessidades locais.

Segundo Darcília, moradora e conselheira do CGI, a reunião deveria ser sobre crianças e pré-adolescentes e não adolescentes e jovens, pois, segundo ela, há poucos projetos ou nenhum para essa faixa etária. De acordo com ela, esse deveria ser o foco desse dia de oficina.

Foram feitas as apresentações tanto do Programa CMJ quanto a do CRJ (Centro de Referência da Juventude), cada qual demostrando as estratégias de trabalho com a juventude local. Questionamentos foram feitos quanto à eficácia do programa e quanto à realização efetiva dos objetivos listados. Outra crítica foi o fato dos equipamentos existentes após as obras do PAC estarem localizados no DSUP, local que, segundo críticos, é de difícil acesso para o restante do complexo.

A apresentação do programa CMJ foi feita pelas coordenadoras Isabeli e Talita Vaz. Ambas ressaltaram a rede que envolve o programa e que visa um ciclo de ações junto aos jovens por meio de informação social, profissional e de saúde. O programa tem as seguintes parcerias: SEEDUC (Secretaria Estadual de Educação), SEA (Secretaria Estadual do Ambiente), SETRAB (Secretaria de Trabalho e Renda),SMSDC (Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil)SEPREDQ (Secretaria Estadual de Prevenção a Dependência Química), entre outras.

Após muitas falas inflamadas, a mediadora Patrícia Evangelista solicitou a formação de um GT para desenvolver um plano de ação junto aos jovens; a ideia seria a criação de um fórum de juventude. De acordo com a sugestão aprovada, após a reunião com os jovens de Manguinhos, outros jovens que passaram por experiências de se organizarem para defenderem seus direitos e fazerem suas reivindicações também poderão ser convidados.

Em princípio o Grupo de Trabalho será organizado pelo CRJ, pela Cooperação Social (FIOCRUZ), pela equipe de campo do Programa UPP Social (IPP), o Programa Caminho Melhor Jovem e o Conselho de Saúde (CGI). O GT se reunirá dia 06 de junho, 10h, no auditório do CRJ.

Robson Viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *