segunda-feira, dezembro 18, 2017
Home > Notícias > A favela na palma da mão

A favela na palma da mão

A ascensão da chamada nova classe média nas favelas não para de gerar oportunidades de negócios

ANDRÉ BALOCCO

Rio – A ascensão da chamada nova classe média nas favelas não para de gerar oportunidades de negócios. Antônio Tibúrcio, do Complexo da Penha, sabe muito bem disso: de janeiro para cá, a Atitude Express, braço da ONG Atitude Social, pulou de 50 entregas para duas mil por dia. “Entregamos desde celular até geladeira”, conta Tibúrcio. “Somos da favela, sabemos andar nelas, nos becos. Complexo da Penha é o nosso forte, mas entregamos também no Alemão, Manguinhos, Juramento, Maré. Vamos a tudo quanto é lugar.” São 12 caminhões saindo todos os dias do Centro de Distribuição do empreendimento, em Magé. “Uma senhora, que recebeu seu smartphone depois de oito meses de espera, ficou tão feliz que doou várias caixas de sorvete para a criançada que treina na ONG”, conta. Hoje a Atitude Social, que fica onde antes era o Campo do Adriano, atende a 8.250 pessoas .

Antônio Tibúrcio, do Complexo da Penha

Foto:  André Balocco / Agência O Dia

DÁ-LHE, JULIA LOPES!

A Escola Municipal Julia Lopes, que atende crianças do Prazeres e Escondidinho, em Santa Teresa, festejou o sucesso de sua Feira Literária, nesta semana. O evento teve como homenageados, este ano, os cantores Chico Buarque e Dorival Caymmi. Ainda é possível doar livros para a biblioteca da escola, que fica na Rua Almirante Alexandrino 3.466.

PEDRINHAS AO VENTO

E por falar em Prazeres, o Grupo Proa, em parceria com o Instituto ProMundo, lançou ontem o livro ‘Chutando Pedrinhas’, criação coletiva de 17 meninas da comunidade. A obra trata da relação pai/filha, a importância de sua presença e as consequências do relacionamento para a formação delas. O livro é baseado em entrevistas feitas pelo ProMundo.

LIXO NO SÃO CARLOS

Quatro anos depois da esperança que veio com a criação da UPP, o lixo continua sendo o principal problema no São Carlos. Pesquisa do Instituto Synthesis mostra que 82% dos moradores apontam a falta de coleta como o que mais os incomoda. Durante a semana aconteceram reuniões entre jovens e autoridades, no projeto Papo Reto, em busca de uma solução. A conferir.

MAIS COMUNIDADE

A Secretaria de Conservação entrega, em 15 dias, a quinta etapa do projeto Sou + Minha Comunidade, desta vez no Morro da Formiga. Em parceria com o IPP, a praça Zé Flamengo está sendo reformada e vai ganhar brinquedos novos e uma horta em seu entorno. “São as áreas com um grande passivo que precisamos reduzir”, diz o secretário Marcus Belchior.

NEO-VIOLÊNCIA NO ALEMÃO EM DEBATE

O crescimento dos conflitos no Complexo do Alemão gera diversas reações entre os moradores. Uma delas é a realização de um seminário para debater as causas da escalada da violência, que vemd e ambos os lados. “Hoje, a polícia não respeita mais os mediadores”, conta Reginaldo de Lima, da ONG Estações Culturais, que ocupa o teleférico, nos finais de semana, com produção cultural. “Esta escalada é preocupante”, continua ele. “E ameaça a filosofia de policiamento de proximidade da UPP.” O encontro será dia 20 de outubro.

CANSADOS DA VIOLÊNCIA , um grupo de moradores da Maré lançou ontem um protesto diferente. Eles criaram o canal ‘Na Favela’, no YouTube, em que usam ironia para denunciar eventuais abusos e desmandos cometidos pela Força de Pacificação no Complexo.
AGENDA

CIRCO NA LONA DA MARÉ
Terça, às 14h, a Maré receberá o grupo ‘No Poquet’, que mistura circo e dança. A apresentação será na Lona Cultural, com entrada franca ( Rua Ivanildo Alves s/nº, Nova Maré).

DANÇA NA GAMBOA

Começa hoje, a segunda edição do ‘Dança Gamboa’. A abertura é com ‘Pindorama’, com apresentações dias 30, às 21h; e 31, 1º, às 20h. Rua da Gamboa 279, entrada grátis.

LEITURA NO JACAREZINHO

Hoje acontece a roda de leitura do ‘Grupo de Teatro Ventilador de Histórias’, a partir das 15 h, no Centro de Referência da Juventude, CRJ, do Jacarezinho (Largo do Cruzeiro, s/n).

VICTOR HUGO NO ALEMÃO
O‘As Cinco Marias’, clássico do escritor francês Victor Hugo, foi adaptada por jovens do complexo e estreia hoje, às 18h, na Estação Alemão do teleférico. Entrada franca.

Fonte: http://odia.ig.com.br/noticia/riosemfronteiras/2014-08-30/a-favela-na-palma-da-mao.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *