domingo, novembro 19, 2017
Home > Cultura > RELÍQUIA DE MANGUINHOS – CELESTE ESTRELA

RELÍQUIA DE MANGUINHOS – CELESTE ESTRELA

 

Aqui Se Faz Cultura 
Ainda em ritmo de carnaval e com vibrações do Dia Internacional da Mulher, a nossa coluna “Aqui Se Faz Cultura”, traz hoje uma convidada muito especial. Mulher, guerreira, atriz, poeta, Dona Celeste Estrela, uma sonhadora nos conta um pouco sobre sua história, conquistas e trajetória.
Personalidade em Manguinhos, vem derrubando barreiras e enfrentando os desafios da vida com muito bom humor e alegria. 

Moradora de Manguinhos desde as primeiras ocupações, Celeste Estrela, como gosta de ser chamada, participou de muitos momentos históricos de Manguinhos, foi umas das primeiras passistas da escola de Samba Unidos de Manguinhos, viu a escola em seus momentos de gloria e Euforia, participou também do Memorável Baile do Juvenal, viu ruas e casas da favela sendo construídas e criando os contornos que conhecemos hoje, ela é ou não é uma “relíquia de Manguinhos”.

 E tem mais, o nome Celeste Estrela tem uma relação muito importante de sua carreira como atriz de teatro, TV e Cinema. ” Eu sempre tive a cultura em primeiro lugar na minha cabeça, sempre gostei muito. Eu trabalhava em casa de família, o horário era puxado. Depois trabalhei também em uma empresa de ônibus, e lá criei um grupo de teatro com o pessoal, e nos apresentávamos em todas as festas.”
Logo após, passou em primeiro lugar em um concurso para ganhar bolsa em uma companhia de teatro. Para se inscrever, precisou fazer empréstimo no banco, pois o valor era muito alto. Ficou lá durante 7 anos. 
“O esforço valeu a pena, porque é uma das coisas que mais amo, gosto do palco, de gente me vendo (risos). Quando você sobe bate aquela tremedeira, mas depois é muito bom. Fiz uma ‘pontinha’ em algumas novelas, como: Gabriela e Lado a Lado, da Globo”.

 Celeste Estrela como poeta fez uma de suas obras sobre suas lembranças de Manguinhos, que conta quando ela veio morar aqui, pois é mineira, e ao sair de Minas Gerais, foi morar no Caju. O poema se chama “Em Manguinhos viemos morar”, pois tiveram que sair do Caju para a construção da ponte Rio- Niterói. Em um trecho do poema fala: “Aqui não pode mais ficar, a obra da ponte Rio – Niterói já vai começar”, e também cita como era o Complexo de Manguinhos no passado: “Manguinhos das enchentes, que me tirava da cama para dormir em outro lugar. Luz fraca, água carregada, mas nada disso importava, porque em Manguinhos viemos morar”.

Atualmente com quase 77 Anos, a Estrela de Manguinhos ainda encanta nos palcos, toda semana ela vai de Manguinhos a Barra da Tijuca para ter aulas de teatro e aprender um pouco mais sobre esse mundo que para ela é muito apaixonante. 

 

Renata Dutra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *