quarta-feira, dezembro 13, 2017
Home > Cidadania > A IMPORTÂNCIA DO FEMINISMO | Renata Dutra

A IMPORTÂNCIA DO FEMINISMO | Renata Dutra

Muito se é falado sobre o feminismo, costumamos ouvir por aí diversas definições sobre este tema, mas será que tudo que ouvimos está correto? Vem com a gente e entenda mais sobre este assunto, e descubra a importância que ele tem, não só para as mulheres, mas para a construção de uma sociedade melhor e mais justa para todos. Você não precisa ser mulher para apoiar as causas feministas.

Diferente do que muitos pensam, o feminismo não é o contrário de machismo, pois as mulheres não acham que os homens são seus sobordinados ou inferiores a elas. Outra situação que costuma acontecer é que pensam que o feminismo trata-se de misandria. A misandria é o ódio, desprezo ou preconceitos contra homens. Já o feminismo nada mais é que a luta pela igualdade entre homens e mulheres.

O movimento feminista não quer ou tenta igualar biologicamente os homens e mulheres, até porque existem muitas diferenças biologicas, como por exemplo, os hormônios. E sim a luta pela igualdade social, cultural e econômica.

Vamos imaginar que um homem e uma mulher fazem as mesmas funções no trabalho, tem a mesma carga horária. Se executam as mesmas funções, sem nenhuma diferença de responsabilidades, por que o salário da mulher tem que ser menor? Por que tratamos de modo diferente quando uma mulher vai para a balada e fica com mais de uma pessoa? Por que para ela é feio e para ele é sensacional?

Se uma mulher diz que gosta de futebol, dizem que ela não entende as regras, só está ali para ver os jogadores, ou porque é lésbica. Sabe o que é isso? Machismo. Costumam tratar de forma preconceituosa as mulheres que gostam de algum tipo de esporte. Não existe esporte de homem e de mulher, todos podem gostar e praticar. Se uma mulher diz que gosta de futebol, ou de basquete, isso é o gosto dela. E ninguém tem o direito de ser preconceituoso com ela.

Beatriz Macedo (foto), 20 anos, moradora de Manguinhos, se considera uma mulher apaixonada por futebol, e seu time de coração é o Flamengo. Segundo ela, mulheres que gostam de futebol sofrem preconceitos “Sofro preconceito principalmente quando vou aos jogos, os homens costumam achar que podem ficar na minha frente atrapalhando a minha visão. Pensam que porque sou mulher eu não entendo. E que só posso estar ali se estiver acompanhada”, afirma.

Falou também que as mulheres que gostam de esporte, costumam ouvir algumas ‘piadinhas’ vindas dos homens. “Uma vez um cara me perguntou se eu estava lá porque os jogadores eram bonitos”.

Está na hora de todos serem vistos como iguais, com os mesmos direitos e deveres, sem distinção de gênero. Foi a sociedade que inventou coisas de homem e de mulher. Todos tem o direito de gostar, se vestir, e agir como quiser.

Outro ponto que devemos conversar, é…

Muitas pessoas dizem que não gostam do feminismo pois gostam de se depilar, ou de se maquiar, ou até de gastar milhões no salão de beleza. Ei, eu tenho uma ótima notícia para você! Você é dona do seu corpo, então não é errado fazer com ele o que sente vontade. Seu corpo, suas regras! Pensando em esclarecer algumas dúvidas, vou colocar alguns tópicos sobre o feminismo.

  • A mulher não deve ser discriminada no mercado de trabalho
  • NÃO é obrigação da mulher cuidar da casa, dos filhos e do marido
  • Nenhuma mulher é uma propriedade. Nenhum homem tem o direito de agredi-la fisicamente e/ou verbalmente
  • O corpo da mulher é direito somente da mulher
  • Qualquer ato sexual sem consentimento é estupro
  • Assedio de rua é uma violência
  • A voz da mulher precisa ser valorizada
  • O espaço político também é um direito da mulher
  • Mulheres trans são mulheres
  • Mulheres não existem em função de embelezar o mundo

Por conta da luta de muitas mulheres no passado, hoje em dia podemos muitas coisas que antes não podíamos, uma delas é estudar. No Brasil só em 1827 as mulheres puderam se matricular em instituições de ensino. Já o direito de cursar a faculdade só foi adquirido 52 anos depois. Em 1887 se formou no Brasil a primeira médica.

Já o direito ao voto, só foi conquistado no dia 24 de fevereiro de 1932, depois de muita luta e reivindicações das mulheres da época, uma luta que se iniciou antes da Proclamação da República. Esse direito foi aprovado parcialmente, pois permitia apenas que as mulheres casadas, com autorização dos maridos, e as solteiras e viúvas com rendas própria votassem. Em 2017 comemoramos os 85 anos da conquista do voto feminino.

O feminismo é um movimento diverso e em constante construção. Todos precisam do feminismo, dessa forma caminhamos para uma sociedade mais justa. O Jornal Fala Manguinhos! faz o seu papel, pois faz que com a voz de nós mulheres seja ouvida. De dez componentes que formam a equipe do Fala Manguinhos!, sete são mulheres. Mulher, a sua voz pode e precisa ser ouvida! Nós mulheres podemos estar onde queremos, e podemos ocupar o cargo que desejarmos. Nós mulheres precisamos nos unir em prol dos nossos direitos. Somos lindas sim, somos fortes, competentes. Se quisermos ser mãe podemos e podemos não querer também. Somos nós que escolhemos. Podemos ser ou não donas de casa, ser ou não universitárias, ser ou não vaidosas. Só seja bela, recatada e do lar se você quiser, e não porque a mídia e a sociedade te impõe.

 

Renata Dutra é jornalista do Fala Manguinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *