sexta-feira, novembro 16, 2018
Home > Cidadania > O que está em Jogo no Segundo Turno da Eleições 2018-Jornal Fala Manguinhos Edição especial

O que está em Jogo no Segundo Turno da Eleições 2018-Jornal Fala Manguinhos Edição especial

Editorial

Ninguém pretende que a democracia seja perfeita ou sem defeito.  . Tem-se dito que a democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que têm sido experimentadas de tempos em tempos.

Winston Churchill

A frase acima, dita pelo Primeiro Ministro da Inglaterra tem, sido utilizada repetidas vezes  em discursos em defesa da democracia. Churchill assistiu aos horrores que representaram as ditaduras de ultradireita em Portugal, Itália e Alemanha na primeira metade do século XX, e onde discursos de combate ao comunismo, pelo fim da corrupção e a defesa pela família estavam mobilizados.

De fato, no Brasil, a democracia não superou alguns dos importantes entraves ao seu desenvolvimento. Em especial a grande desigualdade socioeconômica manifesta nos indicadores de educação, saúde, renda, mortalidade infantil, entre outros. A corrupção, um problema mundial, assume em toda história do Brasil uma questão a ser enfrentada com fortalecimento das instituições e não com frases de efeito, bravatas autoritárias e discursos de botequim. Vale dizer que mesmo durante a Ditadura Militar (1964-1985), a corrupção ‘comeu solta’ na construção da Ponte Rio Niterói, na construção da TransAmazônica, nas Usinas Nucleares, nos Convênios de Empresas Privadas com o antigo INAMPS, e por aí afora. Basta fazer uma pesquisa cuidadosa que achamos muitos desses casos.

Manguinhos é um território de gente trabalhadora, que enfrenta as grandes dificuldades  de se morar na favela! Quem nunca deu um endereço de um primo ou amigo numa entrevista de emprego? Quem não conhece uma família destruída por uma destas operações catastróficas que matam inocentes? Qual o morador que nunca passou um sufoco para ir ou retornar do trabalho pelos intensos tiroteios?

Apesar desse cenário,  nos últimos anos tivemos a construção da UPA, da Clínica da Família e do CAPS Magal que, gerenciadas no âmbito da Prefeitura, são resultado direto da política de investimentos no PAC favelas. Aliás, além destes, tivemos a construção de milhares de novas habitações, da Biblioteca Parque de Manguinhos, da Casa do Trabalhador, do CRJ, entre outros. Apesar de sucateados pela gestão do GOVERNO ESTADUAL SOB O COMANDO DE PEZÃO, não podemos nos esquecer dos investimentos do Governo Federal em nossas favelas, especialmente nos Governos do PT.

Neste período,  desde que o Fala Manguinhos se constituiu, nós nunca deixamos de realizar as críticas, algo que se exige de um veículo de comunicação, mas por outro lado, não podemos esquecer ou ignorar que milhares de pessoas retomaram suas atividades profissionais, especialmente na área da construção civil. E nem podemos ser desonestos, pois sabemos que o PAC Jacarezinho e as obras inacabadas do PAC Manguinhos não aconteceram por culpa do governo Estadual. O Governo Federal, com Dilma, sempre garantiu os recursos para tal mas o governo estadual não se mobilizou para dar continuidade a essas obras. Quantos empregos foram perdidos por essa má gestão? Quantos estabelecimentos nas favelas que fecharam as portas poderiam estar ampliando? Quantos pais de família se entregaram aos vícios como fuga do desemprego e desesperança?

É neste ponto que o Fala Manguinhos lança sua edição especial das Eleições 2o Turno 2018: já nos enganaram demais e precisamos dar a volta por cima! Não vamos cair na armadilha de acusar aquele que nos dá as mãos. Precisamos estar atentos e romper com projetos de violência e que retiram os empregos dos trabalhadores Enfrentar a lógica  de que para os que estão empregados, devam trabalhar sem direitos, como 13o salários, abono de férias, licença maternidade e outros! A favela não pode votar em quem defende o extermínio dos nossos jovens e adolescentes. O nosso futuro! Lembre-se: a bala perdida não atinge apenas o policial ou o suposto bandido!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *