sábado, maio 25, 2019
Home > destaques > Amanhecer sem ela, Amanhecer por ela, Com ela – MARIELLE FRANCO

Amanhecer sem ela, Amanhecer por ela, Com ela – MARIELLE FRANCO

Hoje faz um ano que a vereadora Marielle Franco e o Motorista Anderson Gomes Foram brutalmente assassinatos e durante esse período muitas coisas aconteceram, seu legado tem sido respeitado, sua luta ganhou as multidões, porém a resposta  de quem queria Marielle morta ainda não foi respondida.

Paloma Gomes, Moradora de Manguinhos e Colunista de Fala Manguinhos, tinha uma relação de grande amizade com Marielle, Paloma escreveu um poema que traduz sua saudade.

 

MARIELLE PRESENTE

Amanhecer sem ela…

Amanhecer por ela… Com ela…

Chuva, ventania… Muita força para continuar nessa agonia…

Às vezes, me pego pensando quase sempre ou sempre quase…

Mesmo sem querer, que mais vale ter uma lembrança dela na luta, do que não a ter conhecido nunca…

Foram dois anos de vivência…

Dois anos de muita experiência…

Num mundo desigual, encontrar-se com igual a quem não fez nenhum mal, mas te levou ao caos…

Dizia ela:

“A vida é dura bebê, hoje é dia de luta e é na luta que a gente se encontra…” com aquele sorriso largo de ânimo, impulsionando para não se largar o fardo de nossas missões…

Jamais pensei que pudesse te ver verde e rosa multidões…

Jamais pensei que pudesse te olhar ao amanhecer às 6 da manhã em panfletos e fitas de cetim roxa…

Jamais pensei que pudesse te encontrar em paredes e muros…

Nem pensar também que te fizessem balançar numa bandeira, depois de ter te deixado numa caixa de madeira, em pleno ato de Rua numa quinta-feira…

É, são coisas bem impensáveis e inacreditáveis…

Mas você agora é símbolo, é estandarte, é leitura, é reconhecimento, é ocupação, é pé na porta, é certeza de resistência, é insistência, é Vitória de mais quatro pretas em poder…

É legado, é história, é orgulho, é luto de verbo, é coragem que vence o medo dia a dia… que inflama a alma e espalha, emana, exala cheiro de flor, flor de sol, pois sua semente germina e dissemina suas ações, tomando partido dentro de milhares de corações…

Está em tudo e em todas as coisas… Revela o sujeito em sua maior capacidade de ser um humano ou o transforma em seu pior desastre como criatura, o de ser tortura… Eleva sentimentos de transformação, como também mostra a de manutenção…

Manutenção de ódio, de barbárie, de descaso…

O descaso, mas bem casado dos séculos, não se encontram quem mandou fazer o feito, que com os desfechos nem por um eixo se descobre e encerra o mal feito… Vergonha!

Foram 4 tiros na cabeça… Na cabeça.

Mas isso também não para o que já fora feito, eleito e de direito…

Ela é nossa, ela é de todos…

Chuva, ventania… Muita força para continuar nessa agonia.

Vai, vai e leva Universo meu, pode levar, levar para que o mundo a conheça e a entenda… Só assim irão compreender o porquê dessas pessoas más, tentarem fazê-la calar… Até porque não tem como voltar… Mas vai ecoar e vamos gritar…

Marielle, presente, Anderson, presente, agora e sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *